quarta-feira, 13 de outubro de 2010

MOMENTOS HISTÓRICOS E CURIOSOS (3)


Deep Purple (1973) Final Trucking
[Hard Rock]

Line-up:
Ian Gillan - Lead Vocals
Ritchie Blackmore - Guitar
Roger Glover - Bass, Backing Vocals
Jon Lord - Keyboards
Ian Paice - Drums

Track list:
01- Highway Star
02- Smoke on the Water
03- Strange Kind of Woman
04- Child in Time
05- Lazy – Drums Solo – The Mule
06- Space Truckin’
07- Gillan’s Last Speech


[MU] [108MB]

Em 29 de junho de 1973, na segunda viagem do grupo ao Japão e após um show impecável, em que Jon Lord incluiu o "Parabéns a você" para Paice em seu solo de teclado (era o aniversário do baterista), Ian Gillan volta ao palco e avisa que seria o último show do Deep Purple. Durante o show, não havia nenhum outro sinal de desgaste. Em retrospecto, o silêncio de Gillan na hora de cantar o verso "no matter what we get out of this" ("não importa o que possamos tirar disso") em "Smoke on the Water" podia indicar que tudo o que ele poderia tirar daquilo já havia acabado. Glover também deixou o grupo, passando a se dedicar à produção, no departamento artístico da Purple Records - a gravadora do grupo.
Na verdade, como sabemos, o Deep Purple não acabou naquele então, mas, sem sombra de dúvidas, foi um momento importante deles e do Rock pois encerrou-se um dos ciclos mais produtivos e criativos do Púrpura Profunda, começando-se a partir daí uma nova e completamente diferente etapa com Gleen Hughes e David Coverdale.
Neste Bootleg ficou registrado este momento histórico!

8 comentários:

Rafael Melo disse...

Engraçado o desespero do público japonês ao saber, pela boca do Gillan, do "fim" do Deep Purple.
Grande boot do Purple, um dos melhores.

José Renato disse...

Fala Rafael:
Pois é, o cara termina um "showzaço" olha pro público e fala:
-Falou aí galera, este foi o último show nosso, valeu, byby...
Realmente ninguém entendeu nada e ficou atônito mesmo...
Só que o Purple não acabou só porque o Gillan saiu, não é mesmo?
Coverdale deu conta do recado muito bem, apesar de Gillan ser Gillan...
Valeu o coment!
Grande Abraço

Ed disse...

É verdade José Renato.. até aquele momento deve ter sido uma tristeza muito grande da galera, pois o Purple eram Deuses. Apesar da grande perda com a saída de Gilan do grupo, vieram dois nomes de peso em seguida: Coverdale conforme você mencionou e também outra fera chamada Glenn Hughes, que surgiram de forma fulminante no Stormbringer. Esse foi o início de uma nova fase do Purple.
Esse ábum merece ser baixado porque faz parte do marco do fim da fantástica Fase I do Purple.

Abraços,

Jody Frosty disse...

imagina a reação do povo...

tipo.. FÈDAPUTA! ehehhe

abraço!

José Renato disse...

Fala Ed:
Com certeza Glenn Hughes foi uma ótima aquisição para o Purple e "Stormbringer" é um dos melhores discos deles na minha opinião.
Porém, imagino que deva ter ficado um sentimento de frustração para todo aquele povo que assistia o show pois aquela formação era excepcional e estava no auge da criatividade...
E, a propósito, este foi um dos melhores shows do Purple!
Grande Abraço

José Renato disse...

Fala Jody:
Acho que não deve ter sido bem por aí não. Imagino que o sentimento que predominou lá foi de tristeza e frustração apenas, não de raiva ou coisa parecida.
Grande Abraço

Betão disse...

Ainda bem que a profecia de Gillan não emplacou. Mas, se olharmos de forma mais ampla, este é um tipo de banda que nunca acaba...eles podem, até, parar...mas acabar JAMAIS!

José Renato disse...

Fala Betão:
Verdade! Tem toda razão, certos conjuntos jamais acabam (pelo menos em nossos corações e mentes).
Grande Abraço