sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Bill Wyman’s Rhythm Kings (2005) Live


Um ao vivo da orquestra do multifacetado Bill Wyman (vocês sabiam que o cara é um excelente fotógrafo? Um arqueólogo amador? Um inventor (contruiu um detector de metal, que alega ser ótimo para detectar tesouro escondido [não estou inventando; tá lá no site do produto] e que é vendido on line)? Um restaurateur [tem um restaurante em Londres, chamado Sticky Fingers Cafe]? Pois é, tá tudo contado lá na página do músico na Wikipedia; SdN também é cultura...).

Mas voltando ao disco: só blues à moda antiga, com a cantora Beverley Skeete botando pra quebrar. Quem é do gênero, vai se deliciar. Também, com as feras que acompanham o desgarrado Stone, fica fácil. Aliás, podem falar o que quiserem do Bill Wyman, menos da escolha das suas companhias... antigas e novas (e já que estamos falando em companhias “novas”, vale recordar [a título de “conhecimentos gerais”, para os jovens freqüentadores do blog; vamos que cai em algum vestibular...], que, aos 47 anos, o então baixista dos Stones se envolveu com uma guria de 13 anos; e olhem a “pérola” da justificativa do Bill: “ela era uma mulher aos 13 anos”... é isso aí: o velho The Bill “Kidkiller” Wyman em ação... a apimentada história, bastante badalada na época, encontra-se contada, em português, no site Whiplash). 
Uma curtíssima, mas essencial, biografia do Bill Wyman, em português, pode ser acessada na sempre mencionada Wikipedia. Outra, também pequena, em espanhol, no site AudioKat.
Pra não fugir ao novo formato, segue um vídeo da banda.















Bill Wyman’s Rhythm Kings (2005) Live

Músicas:
1. I Got a Woman (Charles) 4:49
2. Jump, Jive, An’ Wail (Prima) 4:16
3. Baby Workout (Tucker, Wilson) 3:37

4. If I Can’t Have You (Fuqua, James) 4:29
5. Jitterbug Boogie (Taylor, Wyman) 3:47
6. Bright Lights, Big City (Reed) 5:40
7. Muleskinner Blues (Rodgers, Vaughn) 5:32
8. You Never Can Tell (Berry) 4:22
9. Taxman (Harrison) 4:04
10. Race With The Devil (Davis, Vincent) 2:45
11. I Shall Not Be Moved (Traditional) 6:06
12. Disappearing Nightly (Bohren) 4:23
13. Flatfoot Sam (Wills) 4:14
14. I’ll Be Satisfied (Carlo, Gordy) 3:25
15. Let’s Talk It Over (Whittaker) 3:30
16. Wild One [Real Wild Child] (David, Vincent) 3:33
17. Roll ‘Em Pete (Johnson, Turner) 4:30
Músicos:
Byll Wyman: Bass, Vocals
Albert Lee: Guitar, Vocals
Andy Fairweather Low: Guitar, Vocals
Terry Norman Taylor: Guitar, Vocals
Graham Broas: Drums
Frank Mead: Saxophone, Jaw Harp
Nick Payn: Harmonica, Saxophone
Mike Sanchez: Piano, Vocals
Beverley Skeete: Vocals



4 comentários:

Bleffe disse...

Gostaríamos de te fazer um convite...Passe seu e-mail??

dugabowski disse...

Tá na mão, Bleffe: dugabowski@gmail.com. Um abraço.

Dirty Harry disse...

Aos Seres da Noite,

Excelente album! Um grande time selecionado por Bill Wyman, time este, que são na verdade amigos de longa data.
Album divertido, alto astral e de alto nível que resgata as raizes do nosso amado Rock'n'Roll.
Obrigado pelo post...

KEEP ON ROCKIN' IN THE FREE WORLD

Anônimo disse...

È brothers, quem conhece faz; acompanho o trabalho solo de Bill Wyman desde o seu projeto "Willie & Poor Boys", um album do cacete. Esta nova banda resgata esses bons momentos do Willie com novas caracteristicas mas a mesma essência: virtuosismo. Os caras manjam. O que eu gosto nestas bandas da "velha escola" é que os manos quanto mais velhos melhor, eles são iguais a um bom vinho. Até hoje não entendi porque o Bill saiu dos Stones, talvez ele já estivesse cheio daquele glamour, o que eu sei é que a cada trabalho dele eu me surpreendendo com a sua criatividade. Grande Wyman, você é o cara! Fuiiiiiiii!!!!

Howlin Jay
Sampa - SP