quinta-feira, 22 de abril de 2010

Uma gurizada muito bem influenciada: Mad Shadow


A Mad Shadow, banda canadense formada por garotos, como se pode ver pela foto acima, faz um blues rock/hard rock primoroso, com influências altamente positivas da década de 70, principalmente (na sua página no MySpace, a banda as relaciona: Led Zeppelin, Alice in Chains, Cream, Aerosmith, Audioslave, Rush, Rage Against the Machine, Jimi Hendrix Experience, Soundgarden, Nirvana, Mad Season, Eric Clapton, Pink Floyd, Guess Who, B.T.O., Queen, Robert Johnson, Red Hot Chili Peppers, U2, AC/DC, Black Crowes, Beatles, Rolling Stones, The Doors, Neil Young, Bob Dylan, Collective Soul, Charlie Christian, Les Paul, Tool, Black Sabbath, Yardbirds, Deep Purple, Dave Matthews Band, Pearl Jam, Temple of the Dog). Confiram.














Mad Shadow (2008) Mad Shadow


Músicas:
1. I Own The Road (5:59)
2. Turn Me On (4:27)
3. White Lies (2:38)
4. Living In The Past (3:52)
5. Long Road Blues (3:59)
6. Fear The Voices (4:11)
7. Reflections (5:45)
8. Mad Shadow (4:56)
9. Fake Love (2:57)
10. Just One Time (4:00)
Músicos:
Danny Sveinson: Guitars, Keyboards
Erik Olufson: Vocals
Josh McDonald: Drums
Tyler Lindgrin: Bass








A biografia da Mad Shadow, abaixo, foi extraída, parte do site da banda e parte do site da cdbaby, e vertida livremente do inglês.
A Mad Shadow, com Danny Sveinson na guitarra, o vocalista Erik Olufson, o baterista Josh McDonald e o baixista Tyler Lindgrin, estão levando a sua visão do rock para o mundo.
O som da Mad Shadow é um retorno ao descompromissado guitar rock de bandas dos anos 70 como Led Zeppelin, Aerosmith e Deep Purple.
Você também pode notar que bandas contemporâneas como Soundgarden, Audioslave e Tool também a influenciaram. A combinação do som da guitarra solo no estilo clássico dos anos 70 de Danny, a liderança carismática de Erik, a presença de palco forte e o fist-pounding (observação minha: a gíria é intraduzível: significa aquele gesto de bater os punhos fechados a título de cumprimento), somados ao ritmo balançante, fornecido por Josh & Tyler, deixam a platéia sem fôlego e querendo mais.
O show da Mad Shadow é como nenhum outro. Como foi provado ao longo do tempo, você nunca vai assistir a mesma performance da banda duas vezes. A profunda capacidade desses jovens roqueiros de botar pra quebrar, com Danny largando solos velozes, e as improvisadas jams de suas canções mais conhecidas garantem deixá-lo bem no meio do rock ‘n’ roll infernal da Mad Shadow.

4 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Hummmmmm....achei meio marromeno os Loucas Sombras. Sei lá, o vocal é bom mas as composições e o guitarrista não fizeram minha cabeça. Por falar nisso...
[]ões

dugabowski disse...

Edson, e a poluição, Edson? E a poluição? Vamos colaborar para não aumentar o buraco na camada de ozônio... Mas, falando sério, levando em conta a idade da petizada, acho que eles podem melhorar bastante, se realmente se inspirarem no pessoal que apontam como fonte; mas por enquanto acredito que não estejam mal. Dá pra encarar, tranquilo. Um abraço.

Rafael Ferreira disse...

Gostei do Som, ainda vão melhorar muito, mas mesmo assim gostei...
Outra gurizada muito bem influenciada é o Black Tide

dugabowski disse...

Valeu o comentário, Rafael. Vou investigar a Black Tide, que eu não conheço. Um abraço.