quinta-feira, 8 de abril de 2010

Curtindo um som na cervejaria dos Becker…


O nome é terrível, a capa do disco é sofrível, o texto de apresentação da banda não podia ser pior, o seu site é de doer, mas (ainda bem que algumas coisas na vida tem um mas)... eu achei o seu som bem aceitável. E não é o que importa? Então vamos aos cervejeiros Becker e a sua mistura, como a própria banda apregoa, de soul, funk, jazz e blues.














Becker’s Brew (2008) Time And Gravity


Músicas:
1. Just A Day (3:34)
2. A Picture Of You (6:38)
3. French Vanilla Baby (4:23)
4. Funky Lizard (6:40)
5. When The Destert Blooms (5:49)
6. Trance (5:26)
7. Nobody Knows (7:48)
8. Drivin’ (4:47)
9. Time And Gravity (8:57)
10. Wild Joe’s Crazy Indian Dance (7:51)
Músicos:
Mike Emerick: Drums, Percussion, Backing Vocals
Dustin Becker: Bass Guitar, Lead Vocals, Percussion, Backing Vocals
Chuck Becker: Guitar, Lead Vocals, Percussion, Backing Vocals
Convidados especiais:
Dave Langett: Tenor Sax
Dawn Yourish: Backing Vocals
Becky Toogood: Backing Vocals

O texto de apresentação da banda (não vou chamá-lo de biografia nem sob tortura...), que segue, em tradução livre do inglês, foi retirado do site da Becker’s Brew.
Becker’s Brews é uma turma de rock and roll com alta energia. Você vai notar elementos de Soul, Funk, Jazz e Blues. Becker’s Brew é melhor descrita como uma banda percussiva orientada para o rock and roll retrô. Só os melhores ingredientes são incorporados. Os vocais principais são partilhados por Chuck e Dustin Becker, pai e filho. O baixo de Dustin tem uma forte vibração groove que faz com que as canções pareçam muito mais curtas do que realmente são (comentário meu: francamente, não compreendi isso). Mike Emerick marca o ritmo na bateria e na percussão com alma e consistência. O guitarrista Chuck Becker tem um feeling hendrixiano/zeppeliano com uns lampejos de Satriani aqui e ali (comentário meu: até onde vai um texto de apresentação encomendado... benzadeus!). Este CD pode permanecer em seu CD-player por meses. A música realmente contamina a casa. Você vai encontrar-se. Você vai querer mais... (nota minha: do som até pode ser, mas do texto… never!).
Outras informações sobre a banda podem ser encontradas, em inglês, aqui ou aqui.


2 comentários:

Cristiano.Moreira disse...

Nossa o texto deles é ridiculo! Mas como vc disse dugabowski: seu som bem aceitável!

Dá para ouvis legal, mas tomando uma "cubinha" e, é o que estou fazendo agora! (21:18hs)

Pelo post!

dugabowski disse...

E aí, Cristiano? Como eu avisei, tirando o som dos caras, o resto é ruim pra caramba. Mas, como é o som que importa, estão aí os caras. Pô, uma cubinha? Se é o que eu tô pensando, coca-cola com rum (a famosa cuba libre), muito eu curti nos meus áureos tempos. Saudade, três letras que choram... opa! acho que confundi as letras... Um abraço.