segunda-feira, 21 de junho de 2010

Moby Grape (2010) Historic Live Moby Grape Performances 1966-1969


Mark Demming resenhou o disco para o site allmusic, que segue abaixo, em tradução livre do inglês.
Moby Grape produziu vários bons álbuns no seu dia a dia, mas somente um inigualavelmente ótimo (o seu clássico disco de estréia, de 1967), e ter conseguido o seu feito mágico numa gravação de estúdio parecia ser um caso complicado. Mas o grupo aparentemente teve melhor sorte com sua musa no palco, a julgar pelas evidências contidas neste disco. Apresentando material de cinco concertos, abrangendo um período que antecede o primeiro álbum e termina pouco antes da gravação de “Truly Fine Citizen” (o álbum que precedeu à sua primeira ruptura), Moby Grape Live: Historic Live Moby Grape Performances capta a energia e o espírito da banda e as músicas que o grupo lançou durante o seu apogeu. A coleção começa com sete canções, registradas num show de 1967 no Avalon Ballroom, em São Francisco, e se as performances não conseguem a precisão que a banda alcançou em estúdio, a interação entre os guitarristas Peter Lewis, Jerry Miller e Skip Spence é emocionante e repleta de imaginação, enquanto as harmonias dos cinco integrantes são incríveis e caracterizam, de maneira impressionante, o poder de fogo da banda. Em seguida, vem o primeiro lançamento autorizado da curta apresentação da banda no Monterey International Pop Festival, de 1967, e embora pudesse ter sido aconselhado a começar com algo mais excitante do que “Indifference” e “Mr. Blues”, o grupo está em boa forma e bota pra quebrar com “Omaha”. Depois de um tour de force bluseiro em “Sweet Little Angel”, de 1967, que deixa bastante espaço para solos de guitarra, o álbum pula para 1969, com uma sessão de cinco músicas gravadas para a RAI Radio durante uma parada de uma turnê na Holanda. A esta altura, Spence estava fora da Moby Grape, mas se há um pouco menos de eletricidade na banda, a paixão ainda está lá, as harmonias são perfeitas, “Trucking Man” é um rock furioso, e a versão estendida de “Omaha” mostra que o grupo ainda tinha alguns novos truques para o seu repertório clássico. E, finalmente, uma fita de 1966, gravada no Avalon Ballroom, desenterra a até então não registrada “Dark Magic”, um exercício épico de guitarra, que dura mais de 17 minutos nessa versão. Dado que a concisão foi uma das grandes virtudes da Moby Grape, um quarto de hora de uma guitarra alucinada não parece condizente com o seu desempenho, mas se “Dark Magic” é um pouco sinuosa, a integração entre os músicos resulta pouco menos do que surpreendente, e eles mostram fôlego suficiente para adorná-la com volteios de modo a torná-la excitante. Embora o trabalho da Moby Grape em estúdio possa oferecer uma imagem mais clara da força de suas canções, “Historic Live Moby Grape” realiza o excelente trabalho de revelar o que a tornou uma grande banda, e as melhores faixas aqui devem levar qualquer fã sério do rock do final dos anos 60 a reafirmar o status da Moby Grape como uma das bandas mais importantes do seu tempo.
Uma boa biografia da banda, em português, pode ser acessada aqui. Em espanhol, também há uma página dedicada à história da banda. Sem falar, é claro, na recorrente Wikipedia, que apresenta uma longa biografia e toda a discografia do grupo, em inglês.














Moby Grape (2010) Historic Live Moby Grape Performances 1966-1969


Músicas:
1. Ain't No Use (Miller, Stevenson) 1:33
2. Rounder (Spence) 2:00

3. Looper (Lewis) 2:24
4. Bitter Wind (Mosley) 1:47
5. Changes ( Miller, Stevenson) 4:36
6. Indifference (Spence) 2:47
7. Someday (Miller, Spence, Stevenson) 3:21
8. Introduction (1:18)
9. Indifference (Spence) 3:15
10. Mr. Blues (Mosley) 1:52
11. Sitting By The Window (Lewis) 2:55
12. Omaha (Spence) 2:53
13. Sweet Little Angel (King, Taub) 4:50
14. Murder In My Heart For The Judge (Miller, Stevenson) 4:51
15. I Am Not Willing (Lewis) 5:30
16. Trucking Man (Mosley) 2:05
17. Fall On You (Lewis) 2:13
18. Omaha (Spence) 6:04
19. Dark Magic (Spence) 17:27
Músicos:
Peter Lewis: Guitar, Vocals
Jerry Miller: Guitar, Vocals
Bob Mosley: Bass, Vocals
Skip Spence: Guitar, Vocals
Don Stevenson: Drums, Vocals


2 comentários:

Anônimo disse...

Qual é a senha?

dugabowski disse...

Não tem senha, anônimo. O blog não trabalha com senha; aliás, uma coisa chata pra caralho; pra que botar senha em download? qual a finalidade? nenhuma! Então, é só descompactar o arquivo e ouvir. Um abraço.