terça-feira, 15 de março de 2011

Lançamento


Golpes (2011) Angulos


01 - Machu Picchu 03:30
02 - Under Cover Of Darkness 03:56
03 - Two Kinds Of Happiness 03:42
04 - You're So Right 02:34
05 - Taken For A Fool 03:23
06 - Games 03:52
07 - Call Me Back 03:02
08 - Gratisfaction 02:59
09 - Metabolism 03:01
10 - Life Is Simple In The Moonlight 04:15


Julian Casablancas - vocals
Albert Hammond, Jr. - guitar, backing vocals
Nick Valensi - guitar, backing vocals
Nikolai Fraiture - bass guitar, backing vocals
Fabrizio Moretti - drums

Este álbum está com lançamento marcado para 22 de março próximo e, portanto, com grandes possibilidades de ter o link denunciado. Aproveitem enquanto ainda isto não acontece.


[78Mb @320kbps]

10 comentários:

Edson d'Aquino disse...

Fala, Morcegão!
Cara, que decepção tive qdo baixei esse disco lá do New Album Releases. O que eu temia aconteceu: os caras começaram fazendo um bom garage tipo anos 60, deram uma boa esticada nos 70 mas sem perder a crueza e...descobriram os 80! Aí, fodeu!
Já candidataço ao Prêmio Palhoça de 2011 e, a não ser que aconteça outra desagradável surpresa, é poule de dez, hehehe.
[]ões

Anônimo disse...

essa banda nunca me enganou, fraca meia laranja e dois litros de agua, tipica de clip da mtv

Ser da Noite disse...

FDala, Edson.

Para falar a verdade, ouvi de passagem este álbum. Não desgostei mas não achei nehuma coisa excepcional. Postei para o pessoal conhecer o novo trabalho deles e poder fazer uma análise.

[ ]s

Ser da Noite disse...

Respeito sua opinião, anônimo.
Obrigado pelo comentário.
[ ]s

Marcello 'Maddy Lee' L. disse...

Aaaaaaaaaaaave Cesar!
Caraca, véi, o Edson é muito chato!! rsrsrsrssrs Já é o segundo comentário dele falando mal desse disco(o outro eu acho que foi no Eu Ovo).
A situação aqui é questão de gosto, puramente.
OK, não é um disco que vai mudar a vida de ninguém, mas também não é esse merdelê todo, pelo contrário, porque é um disco bom de se ouvir, tem alguns refrões e melodias que grudam na cabeça e os arranjos e a variedade das músicas são bem acima da média de bandas do mesmo estilo - e não faz feio diante dos outros discos do Strokes.
Li uma entrevista com o Nick Valensi em que ele se diz pouco satisfeito com esse disco, não pelo resultado final, mas pelo processo de gravação, já que eles nunca se encontraram para compor as músicas e, muito menos, para gravá-las. O processo todo foi angustiante e estressante para ele, o que refletiu, de certa forma, no resultado, mas não na qualidade do material, que poderia ser ainda melhor se todos tivessem trabalhado juntos. Ele diz, inclusive, que a melhor coisa que eles podem fazer, agora, é entrar logo em estúdio para gravar um outro disco.
Vai entender essas porras, agora que estão cheios de $, deveriam ter mais tempo livre pra fazer essas coisas e não ao contrário...
Aquele abraço!
ML

Louis Ciffer disse...

Link quebrado! Tentem http://www.filesonic.com/file/352625891/thdtr.by.brunooghe.rar

Ser da Noite disse...

O link está OK, Louis. De qq forma valeu pelo link alternativo.
[ ]s

Ser da Noite disse...

Faaaaaaaaala, Marcello.

Desculpe-me pelo atraso na resposta mas, o bicho está pegando na faculdade. Das quatro matérias que estou dando aula, três tiveram o conteúdo alterado e estou tendo que atualizar meu material de apoio. Até comprei um data-show para melhorar as aulas.

Quanto ao disco (e o Edson) é o que vc disse, não vai mudar a vida de ninguèm, mas não é uma perda de tempo.

Um grande abraço

Lawrence David disse...

"Disconcordo! Inclua-me fora desta!" kkkkk ... sério ...Gostei. Discordo dos colegas blogueiros que desceram o pau. Acho que strokes (bem como todas as bandas do 00 e 10 - probably) é isso, sempre foi isso, sempre será isso. Não vejo muita diferença pros outros discos. É uma puta ressaca dos 90 que foi o grunge e o britpop, com cara de revival punk-minimalista-romantic dos 80. Não é diferente de nada do Killers, KOL, Muse. Agora, se isso tudo é uma merda, é outro papo. Eu até que gosto ... mas prefiro continuar curtindo coisas sólidas e regulares, com bons solos de guitarra, belos riffs e bons vocalistas com voz potente e afinada, além, é claro de ritmos entortados, que não é o caso dos supracitados.
Abçs.

Ser da Noite disse...

Fala, Lawrence.

Estou contigo, meu camarada.
Temos que ter a mente aberta para o novo.
[ ]s